Seja bem-vindo ª

Seja bem-vindo ª

Passos da oração eficaz

Passos da oração eficaz


Introdução: Mc. 11:22-26
Esse texto fala sobre o poder da fé – Jesus diz: Tende fé em Deus
 Conta-se a história de um farmacêutico que certo dia, quando já estava fechando a farmácia, chegou uma criança com um bilhete nas mãos, solicitando um remédio.
- Ele disse que já estava fechado, mas a criança, com lágrimas nos olhos, informou-o que sua mãe estava muito mal e precisava com urgência daquela medicação.
- Devido à insistência da menina, mesmo contrariado resolveu reabrir a farmácia e vender o remédio, mas, devido à sua insensibilidade e com pressa,  não acendeu a luz e pegou um remédio errado, cujo efeito era exatamente o contrário do que aquela mulher precisava e, certamente, iria matá-la.
- Em pânico, tentou alcançar a menina, sem êxito.
- Então voltou para a farmácia e, sem saber o que fazer, com a consciência pesada e com medo  - de ser processado ou até mesmo preso, de perder tudo o que levou a vida inteira para construir - instintivamente fez algo que nunca havia feito:

- ajoelhou-se e orou com fé e confiança.
 Mesmo sendo um ateu, seu espírito o levou a buscar o Criador e clamar por ajuda.
-  Enquanto estava ali orando, de repente, sentiu uma mão a tocar-lhe o ombro esquerdo e ao se virar,  deparou-se com a criança:
- Ela disse: "Senhor, por favor, não brigue comigo, mas é que eu caí e quebrei o vidro do remédio. Dá pro senhor me dar outro?".

- O texto que lemos, trás algumas palavras tais como: fé, duvidar, monte, mar e oração.
        Entendo que o assunto principal do texto é ORAÇÃO. Falar em fé, necessariamente se fala em oração.
Proposição: “Como orar verdadeiramente para ser ouvido por Deus”
-O dito dos evangélicos atuais, que se diz, “oração forte”, oração forte é - não duvidar no seu coração – tudo quanto pedirdes em oração, crede que recebereis e será assim.  Pensando nisto, em fé, em oração, em receber o que se pede de Deus, vejamos o que o texto pode nos ensinar:


1. Orar com fé – vs. 23 “Em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar; e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, assim lhe será feito.”
Tende fé em Deus.  Não se está falando para ter fé em qualquer coisa. Nem num deus criado pela nossa mente, nem em qualquer pessoa ou  qualquer santo por aí a fora.
 A fé que Jesus diz para ter é em DEUS – naquele que criou os céus e a terra, o que criou o monte e o mar.  Pois, só a esse  o monte obedece quando você mandá-lo para o mar.
Contudo, quero  explicar para os amados o que significa  esse dizer de Cristo. A frase sobre mover montanhas era uma expressão judia muito comum na época de Jesus. Era uma maneira de referir-se vividamente a remoção de dificuldades. Aplicava-se especialmente aos mestres sábios.
 O bons  mestres  que podiam  tirar as dúvidas dos seus alunos, que esclareciam  as interrogações ensinando os seus alunos,  eram esses  chamados  de “removedores  de montanhas”.
 Alguém que ouviu o seu mestre ensinar ele disse a respeito do mesmo o seguinte: “ Eu vi o meu mestre  como se estivesse arrancando montanhas, tirando-as,  e aplainando de tal forma que não restava nenhuma dúvida a mim”
- Assim pois, a frase significa que se temos verdadeira fé, a oração é  um poder  que pode resolver  qualquer problema e fazer-nos capazes de enfrentar  todas as dificuldades.
- Isso parece muito fácil, mas implica duas coisas:
 primeiro que devemos estar dispostos  a levar nossos problemas a Deus. Isto em si é uma prova muito real.
  As vezes nossos problemas são que queremos ter algo que não deveríamos desejar, desejamos alguma coisa que na realidade é proibido. Queremos encontrar a maneira  de fazer algo que não deveríamos  pensar em fazer,  ou justificar o que fazemos, posto que nunca deveríamos ter colocado as mãos nem aplicado a mente.
 Uma das maiores provas de qualquer problema consiste simplesmente: porque levar isso a Deus e pedir sua ajuda?
 Segundo, implica que devemos estar dispostos a aceitar  a direção de Deus quando Ele nos dá. É muito comum alguém pedir conselho, mas lá no seu íntimo já sabe o que vai fazer, só deseja a aprovação de alguma ação que já está decidida a realizar.
 É  inútil orar a Deus a não ser que estejamos bastante humildes e obedientes para aceitar  a sua vontade.
 mas se levarmos os nossos problemas a Deus e estar  o suficiente  firmes para aceitar  a direção divina na nossa vida, então receberemos poder  para vencer as dificuldades  tanto de pensamento como de ação.
 Jesus mesmo disse a Jairo: “ não temas, crê somente!” . E ainda disse para o pai do menino epiléptico: “Tudo é possível ao que crê”.
 Ezequias, rei de Judá, ao saber que as tropas da Assíria estavam sitiando Jerusalém e que Rabsaqué afrontava a todos, inclusive ao Deus de Israel, ele vai até o templo e ora com fé.


2. Orar com expectativa – vs. 23 “Em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar; e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, assim lhe será feito”.
É uma realidade universal  que qualquer coisa que se faz  ou intenta  com espírito  de esperança e confiança tem mais do que o dobro de possibilidade de êxito.
      O paciente que toma o remédio do médico confiando que vai ser sarado tem muito mais possibilidade de ficar curado do que  aquele que não tem confiança no médico que passou.
      A oração não pode ser uma mera formalidade, nem um ritual sem esperança.
      Para muitos a oração é um ritual piedoso ou uma esperança perdida.
      Todavia, a oração tem que ser uma ardente expectação de que será realizada tal pedido.
     A dificuldade na maior parte das vezes está  em que queremos que Deus nos dê a nossa resposta, e quando não a recebemos não reconhecemos como resposta de Deus.
  “Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós”  (Ef 3:20)
  Deus deseja para os seus filhos uma vida feliz e com grande satisfação.
  O tipo de vida que nós vivemos hoje e amanhã está e estará diretamente relacionado com nossos pensamentos.
  Pensamentos são importantes porque refletem nas nossas atitudes e sentimentos e que refletem no que falamos e agimos.
  Algumas pessoas sentem tanto medo de receberem más notícias que elas se esquecem de orar para receberem boas notícias.
  Se nós queremos ouvir a voz de Deus e receber o seu poder em nossas vidas, nós precisamos ter atitudes que agradam a Deus e ter grandes expectativas ao orarmos.
  “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.” (Hb 11:6)
  “Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.” (Rm 5:5)
  Não há nada negativo em Deus e nem em suas ações, tudo o que Ele faz é para o nosso bem, o que nós precisamos é ter grandes expectativas enquanto oramos.
Nós não podemos orar e depois esperar se Deus irá fazer alguma coisa, nós devemos orar na expectativa de que Deus vai fazer muito mais do que pedimos ou pensamos.
  Fé é ter expectativas!
  “Então, lhes tocou os olhos, dizendo: Faça-se-vos conforme a vossa fé.” (Mt 9:29)
  Mude suas expectativas e suas condições. Comece a agir como se esperasse o sucesso, alegria e abundância; se prepare para o melhor!
  “Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa; dele vem a minha salvação.” (Sl 62:1)
  “Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa, porque dele vem a minha esperança.” (Sl 62:5)
  “Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas.” (Lc 1:37)
  “Mas ele respondeu: Os impossíveis dos homens são possíveis para Deus.” (Lc 18:27)
Um senhor morava num imenso quintal, onde plantou diversas árvores frutíferas. Certa vez plantou um pé de caqui, mas, apesar dos seus cuidados, ele secou.

Certa manhã cedo ele foi arrancar o pé de caqui que ele achava que não tinha vingado.  Pegou uma pá e foi até o pé de caqui, mas, quando foi arrancá-lo, teve uma feliz surpresa: ele havia largado uma única e pequeníssima folha verde. Parecia querer dizer: "Não me arranque. Não estou morto!".

Redobrou os seus cuidados e o pé de caqui "agradeceu” crescendo cada vez mais ficando bonito e cheio de vida, dando saborosos caquis-café, da melhor qualidade. Aquele homem teve a expectativa de  colher frutos daquele pé de caqui e de fato alcançou o que havia desejado.

Aplicação: devemos ter a expectativa de sermos atendidos por Deus, pelas orações.
*  Se você ora para passar num concurso, pense em estar lá trabalhando; creia que Deus vai lhe dar aquela vaga. Pense, lute, busque, faça tudo o que está ao seu alcance para receber o que você está pedindo.

3.  Orar com amor
A oração de uma pessoa amargurada não pode penetrar a muralha da sua própria amargura.
Temos que falar com Deus – é preciso  haver algum vínculo entre nós e Deus.
Nunca pode haver intimidade entre duas pessoas que não tem nada em comum.
O princípio de Deus é o amor, porque Deus é amor.
Se o principio do coração do homem é malícia e espírito rancoroso, isso faz uma barreira entre Deus e ele. 
Para que a oração não fique sem resposta,  primeiro tem que orar para que Deus limpe o coração do espírito de rancor e ponha  o espírito de amor.
Então haverá diálogo entre Deus e o homem, podendo o homem ouvir a voz divina e também expressar a sua oração.
O vs. 25 diz:  e quando estiveres orando  se tendes alguma coisa contra  alguém, perdoai, para que vosso pai celestial vos perdoe as vossas ofensas.
- A idéia de perdão inclui amor, onde há perdão  há amor,  onde não há perdão não há amor.
- O perdão é a maior prova de amor de uma pessoa para com outra.  A maior prova de amor de Deus para com o homem é o perdão dos seus pecados.  Assim também entre os homens.
 Em Mateus Jesus diz:  se você vem a igreja para cultuar a Deus e lembra que alguém tem alguma coisa contra você,  deixa o culto aqui,  deixa a sua oferta  e vai lá e reconcilie com o seu irmão.
 Está falando de amor e de perdão.   Existe aqui o vs. 26 que não está nos melhores manuscritos, mas que perfeitamente engloba a idéia da oração que o Senhor nos ensinou, quando diz: perdoa as nossas dívidas assim como nós perdoamos aos nossos devedores.
 vs. 26 – diz a mesma coisa com palavras diferentes: se não perdoardes também o vosso Pai celestial não vos perdoará as vossas ofensas.
ILUSTRAR:
Eu li isto: "Não há montanhas por demais altas; nem desertos por demais perigosos quando o motivo que nos impele a atravessá-los é o amor".

Quantos crentes não conversam, não olham nos olhos, muito menos sentam perto de outros irmãos. "Se o fulano for a igreja eu não vou, quero distância dele". Que amor é esse que não perdoa?

CONCLUSÃO:
Portanto,  devemos  buscar a Deus em  oração. A oração deve ser embasada pela fé. A fé que crê em Deus como o criador dos céus e da terra. Fé que remove montanhas, fé que faz a diferença entre os fatos e acontecimentos, fé que crê no impossível.
Deve a oração também ser cheia de expectativa. Crer que Deus vai mudar as circunstâncias vai mudar a situação, vai mudar as coisas. Expectativa de que o Senhor pode fazer o que bem quiser.
Deve a oração ser feita com amor e perdão. O amor ao Senhor, o amor a Deus, o amor a todos.
Share on Google Plus

About Pastor Euller Souza

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário